15 de June de 2018

Roteiro | Argentina: Rota dos Andes

O mundo do vinho se volta cada vez mais para as produções chilena e argentina, fazendo da rota entre Santiago e Mendoza uma das mais interessantes do continente. Mas há mais: separadas pela Cordilheira dos Andes, a capital do Chile e a quarta maior cidade da Argentina estão repletas de atrações para os outros sentidos. Você pode alugar um carro em Santiago e seguir no sentido de Mendoza com a certeza de fazer uma viagem inesquecível.

O mundo do vinho se volta cada vez mais para as produções chilena e argentina, fazendo da rota entre Santiago e Mendoza uma das mais interessantes do continente. Mas há mais: separadas pela Cordilheira dos Andes, a capital do Chile e a quarta maior cidade da Argentina estão repletas de atrações para os outros sentidos. Você pode alugar um carro em Santiago e seguir no sentido de Mendoza com a certeza de fazer uma viagem inesquecível.
Dia 1 Santiago
Aluguel de carro Santiago
Antes de cair na estrada, explore um pouco mais a capital chilena. Se você já está familiarizado com as atrações principais, como o Cerro San Cristobal, La Chascona (a casa de Pablo Neruda na cidade) e o Mercado Municipal, parta para algo diferente, como o Museo Chileno de Arte Precolombino ou o Centro Cultural Palacio de La Moneda. Escolha um restaurante no bairro Bellavista ou dentro dos hotéis de luxo, como o Radisson e o Ritz-Carlton, para jantar e se aclimatar.replica watches for sale

Dia 2 Santiago – Valle del Maipo – 160 km
Aluguel de carro Santiago – Valle del Maipo – 160 km
A mais importante região vinícola do país não fica na rota para Mendoza, mas é tão próxima da capital (80 km) que vale o desvio. Foi no Valle del Maipo que vinicultores descobriram que a cepa carmenère, tipo de uva que os franceses consideravam extinta, ainda frutificava – e muito bem – nos solos chilenos. O carmenère virou o carro-chefe da produção do país.  A visita pode incluir passagens nas grandes produtores, como a Cousiño Macul, em atividade desde 1856, e a Concha y Toro, que tem ótima estrutura para visitantes. Um lugar simpático para almoçar na região é o restaurante Doña Paula, na vinícola Santa Rita. Caso você não se interesse pelos vinhos, a região também tem o que oferecer: em Cajón del Maipo, atividades ecoturísticas como tirolesa com os Andes ao fundo têm ganhado força. Volte para Santiago para continuar a viagem no sentido nordeste.

Dia 3 Santiago – Mendoza – 180 km
Aluguel de carro Santiago – Mendoza – 180 km
A distância para ser percorrida com seu carro alugado no Chile nem é tão grande nesse trecho, mas se programe para ir devagar e curtir a paisagem. Há uma rota mais selvagem

 

Rota 52
Depois de atravessar a fronteira do Chile com a Argentina e chegar a Puenta del Inca, uma alternativa para ir até Mendoza é a Ruta 52, ou Estrada de Villavivencio. Mas ela é apenas para os muito corajosos: são mais de 350 curvas em pista muito estreita (que muitas vezes permitem a passagem de um só carro) e sem proteção para os abismos logo abaixo – alguns deles ultrapassam os 3 mil metros de profundidade! Na Cruz de Paramillos, é possível ver todo o Valle de Villavivencio, com um ângulo privilegiado do Aconcagua. Detalhe: a estrada não tem nenhum tipo de serviço, nem mesmo de socorro.

para chegar a Mendoza, mas totalmente desancoselhada no inverno e que merece cautela também no verão. O mais indicado é sair de Santiago, pegar a Estrada 57 até Los Andes e depois seguir montanha acima. Logo depois de Alto de la Posada, prepare a máquina fotográfica (e o estômago): no trecho conhecido como Los Caracoles, dezenas de curvas muito fechadas desafiam o motorista. Depois de cruzar a fronteira, o vilarejo de Puente del Inca, assim batizado por causa de uma ponte natural em pedra sobre o Rio Las Cuevas, fornece uma vista fabulosa das montanhas, inclusive do Aconcagua. Siga pela Ruta 7 (bem movimentada, por sinal, até Mendoza). Ao chegar, aproveite algum dos ótimos restaurantes da cidade.

Dia 4 Mendoza
Aluguel de carro Mendoza
Até meados dos anos 1990, Mendoza era uma cidade meio empoeirada no pé da cordilheira, com produtores de vinho dominando os negócios locais e pouco movimento de forasteiros. A subida na qualidade na vinicultura argentina provocou uma revolução na cidade, que hoje tem hotéis de luxo (como Park Hyatt e Sheraton) e restaurantes com charme e boa gastronomia de sobra, como o da vinícola Escorihuela. Também é um excelente centro de compras além dos vinhos, com boas lojas de couro, lã e cashmere (que estão entre os melhores do mundo). Aproveite o dia para reservar visitas nas adegas (são cerca de 100 à disposição!) e curtir o clima diferente de Mendoza

 

Deserto e neve
Mesmo com a abundância úmida da Cordilheira dos Andes bem ao lado, Mendoza tem clima desértico. A cobertura fornecida pelas montanhas justifica, em parte, esse clima: os ventos do Pacífico não chegam aqui. No inverno, quase não chove e muitas vezes neva; o verão é mais úmido. As oscilações de temperatura são grandes, por isso é bom levar agasalho em qualquer época do ano. Curiosidade: para compensar a secura de Mendoza, suas ruas têm pequenos canais junto ao calçamento, preenchidos por águas que descem das montanhas. O Parque General San Martín, que tem até zoológico, fornece o descanso verde.

.

Dia 5 e 6 Valle do Maipú/Luján de Cuyo/Valle do Uco – 300 km
Aluguel de carro Valle do Maipú/Luján de Cuyo/Valle do Uco - 300 km
São muitos os vales ao redor de Mendoza famosos pela produção de vinho. Dois dos mais importantes são o Valle do Maipú, no sudeste de Mendoza, e o vizinho Luján de Cuyo, ambos produtores de ótimos rótulos da uva malbec. Aproveite para visitar a Bodega La Rural (www.bodegaslarural.com), fundada em 1895, que conta com o Museo Del Vino. Na Família Zuccardi (www.familiazuccardi.com), dos vinhos Zuccardi, a visita deve ser agendada e inclui, dependendo da época do ano, colheita e aulas de gastronomia. A Nieto Senetiner (que produz bons vinhos das uvas Malbec, Shiraz e Cabernet Sauvignon e tem alguns de rótulos importados para o Brasil), abriga um delicioso restaurante ao ar livre pousada (www.nietosenetiner.com.ar). Alguns dos vinhos argentinos mais premiados da atualidade, como o Catena Zapata, são produzidos pela vinícola Nicolas Catena (www.nicolascatena.com), em Luján de Cuyo. Outra região importante é o Valle do Uco, a 110 quilômetros ao sul de Mendoza. Entre as vinícolas da região, a Salentein (www.bodegasalentein.com) é com certeza a mais famosa, com uma charmosa área para degustação e restaurante. De altitude ainda mais elevada e adornado pelas neves da Cordilheira dos Andes, o vale também é propício para prática de esportes de aventura.

Dia 7 Mendoza/Aconcágua/Mendoza – 400 km
Aluguel de carro Mendoza/Aconcágua/Mendoza - 400 km
Acorde bem cedo para aproveitar um dia muito diferente na região: é hora de encarar um gigante. Ou vários. O Aconcágua, com 6959 metros de altura, o que faz dele o maior pico do mundo fora do Himalaia, não é o único grandão do pedaço: outros nove picos com mais de 5000 metros ficam na região. A montanha fica dentro do Parque Provincial Aconcágua, a 180 km de Mendoza, onde acampam aqueles que irão desafiar a montanha. Mas nem pense em se arriscar. Subir é para poucos, pois exige preparo e aclimatação. Quem estiver disposto a se aventurar um pouco mais pode chegar à Laguna de Horcones, a 2950 metros. Alimentada pelas geleiras, a lagoa é acessível para rota de subida do rio Horcones. Na volta, aproveite para as últimas compras em Mendoza e faça um jantar típico argentino, com ótimas carnes e vinho, claro. Um dos melhores restaurantes da cidade, bem no centro, é o Azafrán, que convida o cliente a visitar sua imensa adega antes de olhar o menu e escolher primeiro os vinhos, depois os pratos que combinam com eles.

Dia 8 Mendoza/Portillo/Santiago – 380 km
Aluguel de carro Mendoza/Portillo/Santiago – 380 km
De volta ao Chile, aproveite para passar o dia em uma das melhores estações de esqui do Hemisfério Sul: Portillo. Embora seu grande charme seja a hospedagem por períodos de sete dias no inverno, dá para curtir Portillo em um passeio de um dia (em torno de US$ 65 o day use para uma pessoa) e até mesmo em pleno verão: o excelente restaruante mantém-se em atividade o ano todo. A região do resort tem ótima vista das montanhas, com ou sem neve. É claro que, com neve, dá para aproveitar ainda mais, inclusive com aluguel de equipamento e aulas particulares de esqui. Ao final da tarde, retorne para Santiago, distante 160 km de Portillo.

Dia 9 Santiago
Aluguel de carro Santiago
No último dia de viagem, aproveite para explorar os arborizados bairros residenciais de Santiago, como Bellavista (com casas coloridas) e Paris-Londres (com charmosas ruas de pedra). Combine a devolução de seu carro alugado e curta tranquilamente o final de seu roteiro Self Drive.



As melhores locadoras, carros de luxo, transfers e motoristas à sua disposição na Mobility.
Alugue agora o carro que mais combina com essa viagem no site www.mobility.com.br!
Deixe um comentário: